DIVERGÊNCIAS SOBRE TERRACAP MOTIVARAM SAÍDA DE PITIMAN DO GDF

3
4

As divergências com relação às modificações implementadas na Companhia Imobiliária de Brasília (Terracap) e o papel da Secretaria de Obras na construção do Estádio Nacional de Brasília – obra orçada em R$ 671 milhões e que sediará jogos da Copa de 2014 – foram os principais motivos da saída do deputado federal Luiz Pitiman do governo do Distrito Federal. As justificativas estão na carta de demissão entregue por Pitiman ao governador Agnelo Queiroz na última quinta-feira (21).

A saída do secretário de Obras foi formalizada nesta segunda-feira (25), com a publicação da decisão no Diário Oficial do DF. Neste domingo (24), o GDF publicou nota informando que o governador havia aceitado o pedido de demissão do então secretário. O sucessor de Pitiman ainda não foi escolhido. Por enquanto, o adjunto Danilo Aucélio Pereira fica interinamente à frente das atividades da pasta.

Em entrevista ao G1, o ex-secretário afirmou que apresentou seus desagrados ao governo. “Falei sobre minhas insatisfações todo o momento, agi com lealdade e transparência, mas não fui ouvido sobre a Terracap e fui tirado do convênio mais importante ligado à secretaria. Não tive o que fazer a não ser pedir as contas como secretário”, declarou.

“Como dizem por aí, fui ‘fritado’ no governo. Não era algo que partia do governador ou do vice; partiu de pessoas que estavam com ciúmes. Isso tudo gerou esse conflito”, acrescentou, sem citar nomes.

Como dizem por aí, fui ‘fritado’ no governo. Não era algo que partia do governador ou do vice; partiu de pessoas que estavam com ciúmes. Isso tudo gerou esse conflito”Luiz Pitiman, ex-secretário de Obras do DF
O G1 entrou em contato com a assessoria do GDF que reafirmou que a posição do governo sobre o caso está explicitada em nota divulgada neste domingo.

Em primeiro de julho foi aprovado na Câmara Legislativa do DF o projeto de lei do Executivo que deu “superpoderes” à Terracap. A proposta permite à Terracap a possibilidade de construir, incorporar, dar manutenção e administrar prédios públicos do Distrito Federal – atividades que eram de responsabilidade da Novacap, que já foi presidida por Pitiman.

“Na qualidade de deputado federal, homem público, incentivador do setor produtivo e ex-presidente da Novacap, deixei sim, muito clara minha posição contrária às modificações implementadas no estatuto da Terracap”, afirmou Luiz Pitiman na carta.

No documento entregue ao governador, o deputado federal citou ainda a insatisfação com relação à diminuição do papel da Secretaria de Obras na construção do Estádio Nacional de Brasília.

“Os critérios de competências e responsabilidades no âmbito do convênio firmado entre a Secretaria de Estado de Obras, a Terracap e a Novacap para a construção do Estádio Nacional de Brasília, assinado em 2009 e aditado em 2010, foram rechaçados pelo governo, com a supressão da participação da Secretaria de Estado de Obras do referido ajuste e, por consequência, da execução da obra”, diz a carta do ex-secretário.

Sobre a relação entre o seu partido, o PMDB, e o GDF, Luiz Pitiman afirmou que espera que a sintonia volte. “Brasília precisa de estruturas fortes de administração, tocando e gerindo a cidade”, falou. Ele disse que a relação com o vice-governador, Tadeu Filippelli, não foi abalada. “Admiro e respeito muito ele. Fora do trabalho, o considero como um irmão mais velho. Não faço nada sem consultá-lo.”

Com a saída da secretaria, Pitiman reassume o mandato de deputado federal. Na Câmara dos Deputados, disse que vai priorizar o projeto “Trabalhante”, uma mistura entre estudantes e trabalhadores, e o “Mãe crecheira”, que trata do atendimento em creches domiciliares.

Informações do G1.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui