MARCONI TENTA QUITAR FOLHAS DOS SERVIDORES

0
14
GOIÁS
Marconi tenta quitar folhas dos servidores

Fabiana Pulcineli, O Popular

O governo estadual já tem recursos em caixa suficientes para quitar uma folha do funcionalismo, mas mantém a disposição de priorizar o pagamento de janeiro e apresentar uma alternativa para os salários atrasados deixados pelo governo Alcides Rodrigues.Ontem, em discurso em Cidade Ocidental (no Entorno do Distrito Federal), o governador Marconi Perillo (PSDB) disse estar empenhado em quitar a parcela em atraso ainda este mês, mas adiantou que a prioridade é para janeiro.

“Já estou com recursos assegurados da folha de janeiro. Mas estou trabalhando e lutando para resolver ainda este mês a folha de dezembro. E vou conseguir, com fé em Deus, pagar este mês – estamos inclusive atrás de bancos – a folha de dezembro e a folha de janeiro rigorosamente em dia”, afirmou o governador, em evento de inauguração de fórum na cidade. O governo afirma que a previsão de receita líquida para este mês é de R$ 625 milhões e que a folha de janeiro custará R$ 515 milhões. A parcela em atraso do pagamento de dezembro é de R$ 340 milhões.

Embora Marconi tenha se mostrado confiante, a Secretaria da Fazenda não confirmou o pagamento das duas folhas este mês. Segundo informações da pasta, a situação continua a mesma, com impossibilidade de pagar os salários referentes aos dois meses.
Apesar de o Ministério Público e das entidades representativas dos servidores defenderem o pagamento de dezembro e o adiamento da folha mensal para o dia 10, aliados de Marconi afirmam que ele não abre mão de depositar o salário do funcionalismo no mês trabalhado – prática que inaugurou em seu primeiro governo, em 1999.

“É uma marca do governo Marconi e uma conquista dos servidores. Isso pode criar até um efeito cascata e provocar atrasos todo mês”, diz o presidente da Agência Goiana de Transportes e Obras (Agetop), Jayme Rincon, que acompanhou o governador ontem em viagem a Brasília.

Nos bastidores da Sefaz, a informação é que a alternativa deve ser mesmo o parcelamento da folha atrasada. A secretaria já teria até preparado um cronograma, mas o governador quer continuar tentando outra saída até o dia 20, como a Sefaz acertou com o Ministério Público. O procurador-geral de Justiça, Eduardo Abdon Moura, se reuniu ontem com representantes do Fórum de Defesa dos Servidores Públicos de Goiás, que ameaçam greve geral se não houver pagamento até amanhã. As entidades farão ato público na entrada da Assembleia Legislativa, na segunda-feira, às 10 horas.

Decreto
O governo publicou ontem decreto com exoneração de todos os comissionados nomeados no governo Alcides (de abril de 2006 a dezembro de 2010). A exceção é para funcionários que já tinham vínculo com o governo antes da gestão pepista nomeá-los para cargos diferentes. A Secretaria de Gestão e Planejamento ainda está levantando quantos serão atingidos.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui