ROGÉRIO ROSSO ENCAMINHA CARTA À FIFA

0
6

Veja a carta que o governador do Distrito Federal Rogério Rosso encaminhou ao presidente da Fifa. Confira:

Caro presidente,

É indiscutível a influência da FIFA no mundo, com a nobre missão de promover esporte e paz, trazendo para diferentes sociedades valores baseados em justiça e espírito de fraternidade. As competições de futebol organizadas por tão estimada Entidade trazem para as comunidades que recebem estes jogos desenvolvimento, progresso e melhoria na qualidade de vida de seus cidadãos. A organização de um evento esportivo como a Copa do Mundo muitas vezes se traduz numa das mais eficazes demonstrações de diplomacia internacional.

Desta forma, hospedar uma Copa do Mundo é uma forma surpreendentemente efetiva de trazer a uma determinada sociedade valores que têm sido tão importantes para a própria FIFA, e que são a base do seu reconhecimento internacional como instituição séria e comprometida. A decisão de realizar a Copa do Mundo em nosso País daqui a quatro anos já molda atitudes de nós, governantes das 27 unidades da Federação brasileiras, e, simultaneamente, aumenta a cada dia a visualização de uma imagem positiva que os brasileiros têm de si mesmos.

Estamos em franca reação coletiva com enorme potencial para desencadear uma profunda reflexão nacional sobre todos os aspectos, pontos fortes e fracos de nossa estrutura e ações que podemos tomar coletivamente para consolidar este importante capítulo em nossa história. Temos uma oportunidade única para disseminar em nossa sociedade valores que ultimamente têm se tornado enfraquecidos, mas jamais esquecidos pelo nosso povo.

Apesar do orgulho justificado que temos em relação ao futebol, precisamos nos tornar conscientes de que muitos outros aspectos de nossa sociedade dinâmica precisam de mudanças. Este é o principal legado que uma Copa do Mundo no Brasil deve oferecer. E nós somos imensamente gratos à FIFA por esta oportunidade de fazer isso.

A seleção das cidades nas quais os jogos serão conduzidos resultou em competição entre cidades e suas populações. Esta competição resultou em um profundo conhecimento sobre o processo de seleção das localidades onde a Copa do Mundo será sediada, significando que decisões justas, baseadas nos valores discutidos anteriormente, serão fundamentais. Do contrário, a mensagem passada para a coletividade será distorcida, e isso é uma coisa que não queremos. Ética e mérito devem estar na base das decisões de forma que a mensagem transmitida para as pessoas seja clara e profunda. Neste ponto, a FIFA já começa a construir seu legado para a população brasileira.

Como capital da República Federativa do Brasil, alcançamos posição privilegiada na disputa pela abertura do Mundial, em 2014. Além disso, outras inúmeras qualidades nos alçam à condição de postulante com grandes chances de sermos escolhidos pelo Comitê Organizador da competição mundial. Apesar de percalços jurídicos, somos a cidade-sede com as obras mais adiantadas do País, no Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha, em cumprimento ao caderno de encargos desta Entidade para a sede do Mundial de futebol.

Nossa estrutura próxima ao Estádio, que dará suporte à imprensa, organização do Mundial e torcedores, é uma das mais bem avaliadas mundialmente. Vale ressaltar que temos um excelente Centro de Convenções a pouco mais de 300m do Estádio Nacional Mané Garrincha, além do apoio de um importante setor hoteleiro cerca de 1km da arena preparada especialmente para o Mundial. Nossa economia, fortemente consolidada, é a 8ª do País, 60% maior do que a média nacional. Temos o maior Produto Interno Bruto per capita, também maior do que o dobro da média nacional.

Estávamos em esforço permanente para cumprir todas as exigências do Comitê Organizador da Fifa para a Copa 2014 quando fomos surpreendidos por informações divulgadas amplamente pela imprensa brasileira de que supostamente o Comitê já havia se decidido pela escolha de São Paulo para sediar o Mundial. A nossa surpresa foi ver que a escolha se baseia em um estádio que não possui sequer um projeto pronto para a sua construção, não há previsão de fonte de financiamento e a possibilidade de sua entrega é prevista apenas para o fim de 2013.

Ou seja, esta suposta decisão do Comitê Organizador contraria várias determinações constantes do caderno de encargos que todas as demais 11 cidades-sede têm que cumprir para se adequar ao Mundial. Entre elas, a exigência de que todos os estádios estejam prontos no início de 2013, com vistas à realização da Copa das Confederações. A suposta decisão do Comitê Organizador de escolher o estádio de São Paulo como abertura do Mundial admite que a arena não obedeça esse rigoroso prazo.

O nosso questionamento a Vossa Excelência, Sr. Presidente, se deve à confirmação, por parte desta Entidade, da escolha de São Paulo como cidade-sede de abertura do Mundial brasileiro de futebol em 2014. Estamos certos de que a mesma oportunidade se dará a todas as cidades concorrentes, sem que novas regras sejam criadas no meio do processo de seleção. O que queremos, humildemente, é apenas que o cronograma estabelecido por esta reconhecida Entidade seja observado rigorosamente, para todas as cidades-sede.

O potencial de uma química coletiva em relação a valores e atitudes é incrível, já que somos 200 milhões de pessoas. Este número nos dá também uma idéia precisa do peso de cada ato, por simples que seja, relacionado com esta Copa do Mundo. Não há espaço para decisões que possam transferir à população, especialmente jovens e crianças, qualquer exemplo de injustiça e outras atitudes que possam divergir dos tradicionais valores da FIFA.

E é por isso que venho encarecidamente recorrer a Vossa Excelência no que concerne às análises para a escolha das cidades-sede que concorrem à abertura deste Mundial no Brasil. Precisamos de demonstrações de que a ética, a justiça e o mérito são valores sobre os quais uma sociedade equilibrada deve ser construída, e a Copa do Mundo é uma excelente oportunidade de aumentar a conscientização coletiva em relação a estes valores.

O compromisso com a ética também deve ser fortalecido aqui. Nós todos estamos cientes das tentativas de influência política na decisão da FIFA, e a mídia tem sido capaz de nos apresentar cenários completos de valores indesejáveis que têm sido empregados na disputa. Assim, todos nós esperamos que a FIFA esteja consciente do tipo de mensagem errônea que poderia ser passada à população se uma decisão baseada em influências obscuras for tomada.

Nós confiamos na decisão final da FIFA, especialmente devido aos valores que dão forma à sua imagem mundo afora. Nós também estamos confiantes de que a FIFA deseja trazer as mensagens certas para os brasileiros, num compromisso baseado em um profundo senso de responsabilidade.

Atenciosamente,

Rogério Schumann Rosso
Governador do Distrito Federal

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui