MINISTÉRIO PÚBLICO PEDE AFASTAMENTO DE GIFFONI

1
9
O GDF deve ser obrigado a suspender pagamentos a empresas investigadas no inquérito do STJ.
O Ministério Público pediu ao TCDF que determine ao GDF o cancelamento de pagamentos a título de reconhecimento de dívidas. Uma forma de pagar por serviços prestados em anos anteriores. Na representação, o Ministério Público de Contas questiona o reconhecimento de dívidas antigas a empresas escolhidas sem licitação e que não têm contrato formal com o governo. Esse tipo de prática é proibida por lei. Seriam pagamentos de serviços prestados em anos anteriores e que não puderam ser quitados na época, já que faltaram recursos.
A procuradora-geral pede ao Tribunal de Contas que o GDF suspenda os repasses a empresas que tenham contratos verbais com o governo. E que não faça pagamentos, a titulo de reconhecimento de dívidas, a empresas citadas no inquérito do STJ. Pelo menos até que as auditorias sejam concluídas.
Pede ainda o afastamento do secretário da Ordem Pública e corregedor-geral do DF, Roberto Giffoni. Segundo a investigação, ele teria recebido propina proveniente da liberação de dinheiro vindo desse tipo de pagamento. Desde 2007, Giffoni é responsável por analisar todos os processos de reconhecimento de dividas antigas.
Secretário da Ordem Pública está em apuros...

Em nota, a presidente do TCDF, Anilcéia Machado, informou que a apuração das denúncias citadas no inquérito do Superior Tribunal de Justiça continua, mesmo durante o recesso. Estão sendo verificados pagamentos feitos pelo governo as empresas investigadas. O tribunal avalia se os procedimentos são legais e se os pagamentos precisam ser suspensos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui